Não chore pelo passado: prepare-se para o futuro!

Blog do Mr X

O Ocidente como o conhecemos acabou. É triste, é lamentável, mas fazer o quê. Tudo passa nesta vida. Isso não quer dizer que tudo esteja perdido, longe disso. Apenas virão tempos difíceis pela frente.

Não adianta chorar pelo leite (ou pelo uísque) derramado, dizem. Não sei. Eu costumo chorar bastante. Sou nostálgico desde criancinha. Mas será pior para nós, que ainda pegamos um restinho da Velha Europa (aquela do cartão postal) e dos Velhos EUA e conseguimos fazer um pouco de turismo seguro nesses belos lugares. Nossos filhos e netos provavelmente já crescerão no mundo global multicultural neo-socialista e não conhecerão nada diferente do que a Nova Ordem Global.

As futuras gerações provavelmente viverão em um mundo cheio de favelas e periferias pobres ao redor de megacidades extremamente engarrafadas e protegidas com aço e arame farpado. Um mundo cada vez mais dividido e perigoso. Na Europa, as zonas de muçulmanos proibidas para os “infiéis” ocuparão partes cada vez maiores das grandes cidades. Nestas, a insegurança crescerá. A paranóia do crime e do terrorismo estarão em todo lugar e, para contrapor-se a isso, teremos uma polícia cada vez mais violenta e agressiva (como já ocorre nos EUA) e um Estado cada vez mais autoritário, ainda que em nome da “igualdade”, da “fraternidade” e outras belas palavras. Em outros locais menos avançados, quem manterá a “ordem” será o crime organizado mesmo, ou então as turbas da justiça popular.

Democracia? Esqueça. A mudança não virá mais pelo voto. Quando muçulmanos já decidem eleições na França e na Dinamarca e latinos nos EUA, o voto dos nativos conta bem menos. Quando supostos conservadores seguem quase que a mesma política dos esquerdistas, significa que estamos falando de um jogo de cartas marcadas. Será que, como suspeitam os conspiracionistas, quem manda mesmo é a elite globalista de bilionários, mafiosos e poderosos clãs políticos como as famílias Rockefeller, Soros, Bush, Clinton, Putin (?), sob a égide de intelectuais globalistas como Zigbniew Brzesinski e outros ou similares? Será que estava tudo planejado há décadas? Mas a troco de quê? Isso já não sei.

Não creio que eles queiram destruir de todo a Europa e os EUA, afinal, onde construirão as suas mansões, na África? Em secretas ilhas do pacífico? Em cavernas como aquelas dos vilões de James Bond? Não, tenho a impressão que vários locais do globo serão poupados, nem que seja para que máfias e políticos possam continuar organizando suas orgias e seus paraísos fiscais. Eles são loucos mas não são doidos.

E depois, tem todo o arsenal militar. Vocês acham mesmo que eles deixariam estes brinquedinhos (ou estes e estes) na mão de imigrantes cucarachas ou alguns cabeças-de-toalha? Ora, façam-me o favor!

No meio termo, entretanto, as belas porém vazias igrejas européias serão substituídas por imponentes mesquitas. Os cafés nos boulevards por banquinhas de kebab halal. Os vestidos primaveris pelas esdrúxulas burcas!

Porém, nem tudo será ruim. A globalização seguirá permitindo as viagens e o trabalho ao redor do globo. Você — se tiver estudo e qualificação para isso, é claro, não estamos falando de pés-rapados –poderá escolher se trabalhar em São Paulo, em NY, em Dubai ou em Moscou. Lamentavelmente, devido à imigração as cidades cada vez mais se parecerão entre si, portanto viajar será menos interessante, e mais perigoso. Pode ser que seja melhor ficar em casa e trabalhar via Internet!

Se você for inteligente e criativo, haverá oportunidades. Ainda há países que preferem imigrantes inteligentes que contribuem. Não acho que aqueles mais inteligentes ou talentosos ou ambiciosos ou ricos tenham tanto problema; quem vai se ferrar mesmo nesse novo mundo é — como sempre, não é? — a classe média e baixa trabalhadora e burra. As minorias, no fim das contas, também vão se danar, já que nenhum welfare pode durar para sempre. E o crime afeta sempre mais eles.

Também ainda será possível viver seguramente em algumas “whitopias“, mas estas cada vez mais assumirão a forma de condomínios fechados. Talvez voltemos a uma espécie de feudalismo, com castelos e tudo mais. Ou então uma nova subdivisão dos países sob identidades cada vez mais tribais. A Itália e a Espanha, por exemplo, possivelmente se desintegrarão e retornarão à situação de antes, com regiões independentes, cada uma com seu dialeto (Catalunha, País Basco, etc), mas algumas regiões serão ocupadas por muçulmanos que criarão califados independentes.

Guerra civil é uma alta probabilidade na Europa, ou ao menos em alguns países europeus mais islamizados. Nos EUA, aposto em uma violenta secessão de alguns estados, que não será deixada barata pelo cada vez mais tirânico governo federal. Vai ser guerra brava.

Fora isso, todo mundo vai poder casar com todo mundo, homem com homem, mulher com mulher e travesti com quem bem entender.

Parafraseando Unamuno, a Nova Ordem Global vencerá, mas não convencerá. Ao ver a utopia igualitária revelar-se um engodo, os esquerdistas, como ocorreu na União Soviética, se sentirão traídos por seus próprios ideais. Serão então perseguidos pelos próprios líderes que ajudaram a colocar no poder e chorarão amargamente.

Além do terrorismo islâmico e da intifada tomando a Europa, não duvide da volta do terrorismo de direita. Não aprovo, mas deve acontecer. Breivik deu o exemplo e alguns novos psicopatas o seguirão. O que implicará em maior repressão governamental ainda. É possível que alguns países mais afetados pela violência tenham governos tirânicos de direita.

É possível no entanto que a partir desse sofrimento todo haja um ressurgimento religioso, e daí venha a esperança de um retorno a um tempo melhor.

Não é bem claro o que países asiáticos que mantiveram sua unidade étnica como China e Japão farão, nem que papel desempenharão nessa nova ordem. E a Rússia, de que lado está? Os EUA, centro do poder global, continuarão no topo; ainda que enfraquecidos pelo excesso de imigração de baixa qualidade, continuarão a ter uma elite intelectual, científica e financeira que definirá o rumo e a tecnologia do novo mundo. Como eu já disse, eles são doidos mas não são loucos!

Fora isso, a vida será mais ou menos como sempre foi, com suas dificuldades e problemas. A dica é você criar uma família para manter o patrimônio genético, ensinar bem os filhos (homeschooling!) para manter o patrimônio cultural, e, se possível, andar armado para se proteger do crime. (É verdade que o controle de armas será cada vez mais intenso, portanto talvez essa não seja uma possibilidade para todos. Ouvi dizer que no Brasil até spray de pimenta é proibido, aliás, no Canadá também).

Viver afastado das grandes cidades, que se tornarão cada vez mais infernais, talvez seja melhor. No Brasil, eu sugiro o interior de Santa Catarina ou do Rio Grande do Sul. Nos EUA, acho que alguns lugares no Midwest, regiões de montanha e os subúrbios em geral. Na Europa, os subúrbios e pequenos vilarejos rurais. Esqueça Paris, Malmö, Detroit, Los Angeles, Rio de Janeiro e Amsterdam, estão perdidas, provavelmente para sempre.

No mais, não desanime. Enquanto há vida há esperança. Afinal, por ruins que as coisas estejam, lembre que sempre pode ser pior!

Fonte: Blog do Mr X

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: