A questão homossexual

Thiago Coelho

Cartazes da parada gay com santos musculosos

Cartazes da parada gay com santos musculosos

A questão homossexual é uma das mais problemáticas nos dias de hoje. No Ocidente, a comunidade gay tem adquirido cada vez mais direitos e privilégios à custa de um fortíssimo lobby político que amplia ilimitadamente sua influência na mídia, na cultura, e na formação de opinião. No Brasil, particularmente, tem-se tomado conhecimento de várias polêmicas criadas pelo movimento gay nacional e pelos políticos de esquerda que apóiam suas causas: distribuição de propagandas homossexuais nas escolas (o famoso kit gay); concessão dos direitos de casamento civil, pensão, herança e adoção de crianças por casais gays (os quais correspondem somente a 0,03% da população brasileira segundo o Censo 2010 do IBGE em http://noticias.r7.com/brasil/noticias/brasil-tem-60-mil-casais-gays-aponta-ibge-20110429.html), feita pelo Supremo Tribunal Federal; tentativa de aprovação no Senado Federal do Projeto de Lei da Câmara (PLC) 122/2006 (ou Lei da Mordaça Gay); realizações de paradas do orgulho gay reunindo milhares de libertinos em diversas capitais estaduais; estímulo ao comportamento homossexual na mídia; processos judiciais arquitetados contra cidadãos que discordam da prática da sodomia… Ufa! São tantos os absurdos e as torpezas acontecidas no Brasil ultimamente que é quase impossível evitar um sentimento de mal estar e desespero ao pensar que estão a ocorrer em nosso próprio país e que será esse o cenário onde nossos filhos, infelizmente, terão de viver. Contudo, maior angústia sinto quando percebo que as pessoas tapam os olhos perante essa terrível realidade e renunciam ao seu direito de expressar uma opinião discordante da elite esquerdista egoísta e cruel.

Cientificamente, o homossexualismo é uma anormalidade óbvia. O ser humano está destinado a seguir as seguintes etapas: nascer, crescer, reproduzir-se, envelhecer e morrer. A abstinência sexual, embora não cumpra o dever da reprodução da espécie, não prejudica o indivíduo saudável, pois é resultado da escolha racional em subjugar seus instintos sexuais à sua própria vontade e em muitos casos torna-se até uma prática vantajosa em regiões que sofrem de endemias de doenças venéreas, como a AIDS. Já a pederastia, por sua própria natureza, pratica um ato que não obedece nem à relação natural heterossexual (natural, porque a própria disposição dos órgãos sexuais no homem e na mulher indica que eles foram feitos de forma a complementar-se um ao outro) e nem ao mandamento reprodutor que a atividad e sexual impõe. Adicionando-se o fato de que o ato homossexual é preponderantemente executado no final do tubo digestivo, o que aumenta consideravelmente a transmissão de HIV, não resta dúvida de que ele é, em termos científicos, completamente anormal e degradador da espécie. Os próprios gaysadmitem que eles existem devido ao ato heterossexual e à união do espermatozóide e do óvulo, que forma o zigoto ou célula-ovo, e não como resultado da sodomia ou do tribadismo lésbico.

No campo moral, como a questão homossexual gera conseqüências que atingem toda a sociedade, tal problema tem de ser analisado sob a óptica dos valores e sentimentos do povo e da civilização erigida por ele. A maioria esmagadora do povo brasileiro professa a fé cristã e acredita na veracidade de seus ensinamentos. Portanto, é contrária ao homossexualismo como modelo a ser seguido e louvado pela sociedade. Esses valores, além de serem aceitos pela maioria, são parte constitutiva da civilização brasileira e ocidental e devem possuir proteção do estado, o que traz a questão também para o aspecto político. Embora o estado democrático opte por ser laico, isto é, por oficialmente não se identificar com religião alguma, é obrigado a refletir os anseios e aspirações de 98% de brasileiros cristãos e a preservar sua tradição religiosa, sendo esta a que mais contribuiu para a edificação de uma civilização e o estabelecimento de importantes instituições nestas terras.

Agindo contrariamente aos preceitos da justiça, o governo petista tenta, por todos os meios que lhe são possíveis, impor ao povo leis iníquas, autoritárias e que inauguram uma época de hostilidade e perseguição à Religião. Através do kit gay, ele faz uma propaganda psicológica pró-homossexualismo nas mentes de milhares de crianças e adolescentes em instituições educacionais, os quais saem delas sem saber ler, escrever e contar, porém induzidos emocionalmente à prática da sodomia. Aparelhando o estado, o petismo indicou a maioria dos ministros do STF e conseguiu a aprovação de que os gays possam casar-se e formar uma “família” com direito à pensão, adoção de crianças, herança etc, pisando em cima da própria Constituição Federal  que, em seu artigo 226 § 3º, ainda considera como família – graças a Deus! – a “união estável entre o homem e a mulher” devendo estes possuírem “especial proteção do Estado”.

Avessos a críticas aos seus costumes, o movimento gay internacional engendrou o termo “homofóbico”, originado da psiquiatria para designar o indivíduo que sente repulsa assassina contra pederastas, para qualificar todo aquele que mantenha e apóie publicamente qualquer opinião contrária aos seus interesses políticos. Almejando tornar-se intocável e acima da lei, a minoria gay exige a aprovação imediata – no Congresso Nacional – do PLC 122/2006, o qual constitui em efeito a consumação da destruição da família e a criminalização do Cristianismo e de todas as outras religiões que discordam da pederastia como prática social virtuosa no Brasil. Para se ter n oção do perigo, basta que se analisem as situações da vida cotidiana que poderão ser punidas com alguns anos de reclusão, como consta nos artigos 3º a 8º que modificam a lei nº 7.716/89, além de algumas mudanças propostas no Decreto-Lei nº2649/40 (Código Penal) e na própria Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

A ousadia dos gays em humilhar heterossexuais e religiosos parece não ter fim. Nem muito menos o apoio político, moral e financeiro que os partidos de esquerda lhes oferecem, valendo aqui destacar a verba de R$11 milhões obtida pelo deputado federal Chico Lopes (PSol/RJ)¹ para financiar paradas do orgulho gay Brasil afora² e a criação do já citado projeto de lei pela então deputada federal petista Iara Bernardi e louvado pela senadora Marta Suplicy.Contudo, a resistência de brasileiros patriotas e defensores dos bons costumes de nossa sociedade tem feito frente à imoralidade e ao autoritarismo esquerdistas. Os escritos do filósofo Olavo de Carvalho, as pregações do Pr. Silas Malafaia e a atuação parlamentar solitária, porém valente e determinada, do deputado federal Jair Bolsonaro (PP/RJ) têm feito a diferença e chamado a atenção da população brasileira à improbidade de seus governantes e ao processo de desmoralização contra a juventude e os valores do país. O movimento homossexual, apesar de muito poderoso, pode ser derrotado quando todos os homens de bem puserem de lado sua indiferença e se unirem na defesa de Deus, da Família e da Pátria.

IMPRESSIONANTE: CHICO ALENCAR (PSOL-RJ) MENTE E TRAI SEUS ELEITORES!

²Segundo o jornal online “O Dia”, o deputado federal socialista Chico Lopes afirmou o seguinte: “Como a homofobia e o racismo estão crescendo, acredito que R$ 11 milhões seja pouco”. Fonte:http://odia.terra.com.br/portal/brasil/html/2011/4/foto_prova_que_nao_sou_racista_diz_bolsonaro_155083.html
Anúncios

  1. “Não haveria nem socialismo nem comunismo se os que governam os povos não tivessem desprezado os ensinamentos e as maternais advertências da Igreja.”

    Papa Pio XII, in Divini Redemptoris

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: