Arcebispo brasileiro corrige ‘mal-entendido’ em comentários sobre aborto

Matthew Cullinan Hoffman, correspondente na América Latina

PERNAMBUCO, Brasil, 16 de abril de 2010 (Notícias Pró-Família) — O arcebispo católico da diocese de Olinda e Recife divulgou um “esclarecimento” com relação aos comentários ambíguos que ele fez com relação a um aborto direto realizado numa menina que vive em sua diocese.

Os comentários, feitos em 10 de abril pelo arcebispo Fernando Saburido para duas publicações diferentes, pareciam oferecer justificação para o aborto em bases médicas, apesar de que a Igreja condena todos os abortos diretos, e indicou simplesmente que quem devia fazer a decisão eram os pais e os médicos, e não a Igreja.

Os comentários ficaram famosos na imprensa brasileira e contrastaram com as declarações e ações claramente pró-vida do arcebispo anterior, José Cardoso Sobrinho. Eles provocaram respostas de condenação na blogosfera brasileira, e pedidos de esclarecimento de Human Life International (Vida Humana Internacional).

Numa “notificação” postada no site da arquidiocese, porém, Saburido acusa o jornalista numa das entrevistas de ser “tendencioso”, e declara que o aborto realizado na menina de dez anos alegadamente estuprada por seu padrasto era “anticristão”.

“Comungo, em todos os sentidos, com a orientação da nossa Santa Igreja que defende a vida e não admite, em hipótese alguma, que ela seja eliminada porque é um dom de Deus e somente a Ele cabe tirá-la”, disse o arcebispo.

“No caso específico da menina de 10 anos, grávida de quatro meses, vítima de estupro do seu padrasto e submetida a aborto, discordo da solução tomada. Considerei anticristã por ceifar uma vida que poderia perfeitamente ser salva. Não faltaria família que se dispusesse a adotar o bebê, oferecendo-lhe afeto e dignidade”.

Ele também indica sua oposição à lei brasileira, que não penaliza abortos em certos casos. “Em nosso país, não é penalizado o aborto em casos específicos”, escreve ele. “Com a Igreja, entendo que esta norma contraria os princípios básicos da ética cristã e não pode ser aceita por tratar-se de uma lei que mata”.

“Acredito que todos que me conhecem e sabem da minha história, jamais terão dúvidas do meu amor à Igreja e fidelidade ao seu Magistério”, disse ele.

Link relacionado:

Texto completo do esclarecimento do arcebispo Fernando Saburido

Fonte: Notícias Pró-Família

Anúncios

Uma resposta

  1. Eu não confio muito nesse D. Fernando Saburido.Já participei numa reunião no tempo que o DCE era presidido pelo Tancredo( membro do PCdoB) e o D. Fernando esteve lá presente . Notei que os discursos que D. Fernando fez iam ao encontro das propostas comunistas de revolução social e de luta pela construção de um mundo mais justo. Ninguém aqui é bobo para não saber o que esse “mundo mais justo” significa, não é?

    Ele deve ser adepto da Teologia da Libertação.

    Uma pena.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: