Reparando uma injustiça histórica

O Kremlin foi o maior responsável por uma campanha de difamação contra o papa dos tempos da Segunda Guerra Mundial, Pio XII. Isso é que diz Ion Miahí Pacepa, um ex-espião soviético de alto escalão, que permanece escondido nos Estados Unidos.

O general Pacepa, revelou à revista Americana National Review Online, que nos sessenta o Kremlin ordenou que ele desacreditasse o Papa através de infiltração nos arquivos do Vaticano. “Isso no máximo confirma o que nós já sabíamos faz algum tempo. Que muito da propaganda contra Pio XII veio de fontes soviéticas russas”, disse o Padre Peter Gumpel, Relator da Causa de Beatificação do Papa Pio XII.

O general Pacepa nada descobriu de incriminador nas suas pesquisas. E o que de fato encontrou foi mais tarde adulterado pelo Kremlin que estava irritado com a atitude anti-comuinista do Vaticano. Padre Gumpel disse que outros seguiram o exemplo soviético, não só ignorando os esforços do Papa para proteger os judeus da tirania nazista, mas também, em substituição, sujando sua reputação. Segundo ele: “As pessoas que fazem isso, eu acho, nunca viveram numa ditadura verdadeira, seja na Alemanha nazista ou na Rússia comunista. Quanto a mim, eu vivi no regime nazista, minha família foi severamente perseguida pelos nazistas por razões políticas. Algumas pessoas da minha família foram mortas por eles -, e portando nós estamos conscientes do que era ou não favorável naquele período.” Se Pio XII tivesse falado mais em defesa dos judeus, diz Padre Gumpel, isso teria piorado a situação deles. Padre Gumpel, que estudou a vida de Pio XII mais do que ninguém, não tem dúvidas sobre a santidade do Papa. “Se alguma vez eu tivesse chegado á conclusão de que essa causa não deveria ir adiante eu não teria assinado os papéis. Mas quanto mais eu a estudo, mais estou convencido de que esse homem é um santo”, disse o sacerdote.

A beatificação de Pio XII, que morreu em 1958 dependerá da autenticidade de ao menos um milagre relatado.

A declaração do general Pacepa repara uma injustiça histórica. A verdade é que Pio XII foi um dos poucos que teve a coragem de defender os judeus da tirania de Adolf Hitler.

Veja o vídeo:

Obs: Reportagem do canal RomeReports sobre a difamação do Papa Pio XII feita pelo Kremlin.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: